A era da moda digital

A inovação demorou, mas finalmente chegou aos pontos de venda. A disputa pelo bolso do consumidor vai ficar cada vez mais acirrada.

Saiba o que empresas como Amaro, Iguatemi, JHSF e Riachuelo estão fazendo para revolucionar a forma como você se veste.

Quem nunca ouviu, ao menos uma vez, que a internet acabaria com o potencial de vendas do varejo tradicional, que atire o primeiro cabide.
Nos últimos anos, não foram poucos os especialistas que profetizaram o apocalipse para as lojas físicas.

O que se vê, no entanto, é uma integração cada vez maior entre os dois canais de venda.
Atualmente, o e-commerce tem levado mais clientes para as lojas.

Redes e grifes com boa reputação tiram proveito do mundo digital em suas unidades de rua e shoppings.
É nessa onda que empresários como Carlos Jereissati Filho, CEO do Iguatemi, surfa.

Com fala mansa e estilo despojado, o executivo de 48 anos está à frente da companhia desde 2005.
Ele já liderou o processo de abertura de capital e inaugurou oito exitosos empreendimentos.
Agora, Jereissati Filho dá o passo final para uma jornada não menos importante.
Em breve, a empresa inaugurará um marketplace — espécie de shopping virtual, que aloca ofertas de diversas empresas no mesmo portal — com mais de 80 grifes e cerca de 10 mil itens de moda logo de partida. “Não seremos uma Amazon, que oferece de tudo.

A ideia do nosso marketplace é ajudar a resolver a vida das pessoas”, diz o CEO do Iguatemi.
“Mas o grosso, assim como no nosso negócio físico, virá da categoria de moda.”

 

Fonte: https://iguatemi.com.br